AVALIAÇÃO DE INSUMOS PARA A INDÚSTRIA CERÂMICA:
O setor cerâmico consome grandes volumes de minerais industriais e aditivos químicos. A velocidade de trabalho das indústrias cerâmicas muitas vezes impede que estas matérias-primas sejam testadas convenientemente e suas potencialidades exploradas. Nesse sentido, o CRC realiza ensaios de aplicação em massas, engobes ou esmaltes cerâmicos, visando identificar o potencial destes insumos no setor cerâmico e ainda busca orientar a melhor forma de utilização dos mesmos.

fot07.jpg
fot08.jpg

DESENVOLVIMENTO DE FORMULAÇÕES DE MASSAS E ESMALTES:
Tradicionalmente as formulações de massas e esmaltes destinadas à fabricação de materiais cerâmicos são desenvolvidas por métodos empíricos, baseados na experiência prática dos técnicos das empresas. Esta sistemática é onerosa e não oferece garantias de que a formulação desenvolvida apresenta a melhor combinação possível de propriedades técnicas e custo. O CRC desenvolve formulações de massas que se baseiam em métodos estatísticos (DOE – planejamento de experimentos com misturas) e matemáticos (programação linear – simplex) capazes de gerar produtos de alta performance e baixo custo de fabricação.

fot09.jpg
fot10.jpg

REAPROVEITAMENTO DE REJEITOS INDUSTRIAIS:
Os materiais cerâmicos apresentam algumas peculiaridades relacionadas aos seus processos produtivos que facilitam a incorporação de rejeitos industriais de naturezas diversas. Muitos processos industriais geram volumes elevados de rejeitos industriais que podem não apenas ser inertizados quando incorporados nos produtos cerâmicos, como também favorecer suas propriedades técnicas. Por esta razão, o CRC realiza um conjunto de análises, buscando encontrar a melhor aplicação cerâmica para os rejeitos industriais existentes, bem como determinar formas de utilização que possam valorizá-los.

fot11.jpg
fot12.jpg

ANÁLISE DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA:
Grandes quantidades de energia são consumidas na fabricação de materiais cerâmicos, tendo em vista que os processos de fabricação geralmente envolvem operações de secagem e sinterização em altas temperaturas. O CRC dispõe de metodologia para realizar acompanhamentos periódicos dos consumos de energia térmica e com isso analisar a eficiência de fornos, secadores e atomizadores utilizados nas empresas. Pequenas reduções no consumo de gás natural dos equipamentos viabilizadas a partir do monitoramento acima mencionado podem representar reduções expressivas dos custos de fabricação e das emissões atmosféricas das empresas

fot13.jpg
fot14.jpg

CONTROLE DE QUALIDADE DE MATÉRIAS-PRIMAS E MASSAS:
As empresas cerâmicas consomem diariamente volumes expressivos de argilas e outras matérias-primas. Por se tratarem de matérias-primas naturais, estão sujeitas a variações que podem comprometer a qualidade do produto fabricado se não forem controladas. Neste sentido, a realização rotineira de testes de laboratório dos lotes extraídos das jazidas pode ser uma importante ferramenta para orientar a extração e a mistura de lotes das matérias-primas. O CRC pode orientar as empresas na definição dos testes de laboratório mais indicados para cada situação, bem como realizar esse acompanhamento de rotina, visando detectar variações indesejadas e garantir a constância de fornecimento das matérias-primas

fot15.jpg
fot16.jpg

fot17.jpg

ANÁLISE DE PATOLOGIAS E DEFEITOS DE FABRICAÇÃO:
Os defeitos originados na fabricação ou durante o uso dos produtos cerâmicos representam prejuízos financeiros para as empresas e podem comprometer a imagem dos fabricantes, caso estes cheguem ao consumidor. Quando os defeitos são conhecidos, o corpo técnico das empresas geralmente consegue atuar para eliminar os defeitos do processo produtivo e prevenir que os mesmos voltem a ocorrer. Entretanto, em alguns casos, torna-se necessário investigar com maiores detalhes estas patologias, visando identificar a origem e a melhor forma de eliminação / prevenção destes defeitos. Neste sentido, as análises de microscopia ótica e eletrônica, combinadas com a experiência para a realização deste tipo de análise, podem contribuir de maneira efetiva para melhorar a eficiência dos processos produtivos das empresas

fot05.jpg
mev.jpg

CURSOS E TREINAMENTOS TÉCNICOS:
A capacitação do corpo técnico é um diferencial que pode contribuir para o sucesso das empresas. O setor cerâmico, infelizmente, não conta com muitas opções para a formação e a especialização dos profissionais interessados em aprimorar seus conhecimentos na área técnica. Neste sentido, o CRC oferece cursos e treinamentos in company, cujos conteúdos são elaborados de acordo com as necessidades de cada empresa. Além disso, o CRC disponibiliza sua estrutura para receber técnicos de laboratório interessados em programas de capacitação que incluem atividades teóricas e práticas de laboratório, também direcionadas em função das necessidades das empresas.

fot18.jpg
fot19.jpg